Eternos Aprendizes

24/03/2009

Esforço conjunto: telescópios Fermi e HESS observam um Blazar

Esforço conjunto: telescópios Fermi e HESS observam um Blazar (super Buraco-Negro ativo)

No coração de uma galáxia ativa, a matéria do disco de acresção cai dentro do buraco negro supermassivo, mas parte desta massa é desviada e cria jatos de partículas que viajam quase a velocidade da luz. Para as galáxias ativas classificadas como blazars, um de estes jatos de matéria se dirige diretamente até a Terra. Crédito: NASA/Goddard Space Flight Center Conceptual Image Lab

No coração de uma galáxia ativa, a matéria do disco de acresção cai dentro do buraco negro supermassivo, mas parte desta massa é desviada e cria jatos de partículas que viajam em velocidades relativísticas. Essa imagem represnta uma galáxia ativa classificada como blazar e um do seus jatos de matéria se dirige diretamente até a Terra. Crédito: NASA/Goddard Space Flight Center Conceptual Image Lab

Uma equipe internacional de astrofísicos usando telescópios terrestres e espaciais tem observado surpreendentes alterações na radiação emitida por uma galáxia ativa. O quadro que surge a partir destas primeiras observações simultâneas com telescópios ópticos, de raios-X e de última geração de raios gama é muito mais complexo do que os cientistas esperavam e desafia as atuais teorias de como a radiação das galáxias ativas é gerada.

Para ler o artigo completo, clique aqui

Eternos aprendizes estão em novo endereço: www.eternosaprendizes.com

Eternos aprendizes estão em novo endereço: http://www.eternosaprendizes.com

Anúncios

20/02/2009

O telescópio orbital Swift mantém o Cometa Lulin em vista

O telescópio orbital Swift mantém o Cometa Lulin em vista

Essa imagem do cometa Lulin foi obtida em 28 de janeiro de 2009 combina dados obtidos pelos dispositivos de ultravioleta, ótico e raios-X (azul, verde e vermelho) do telescópio orbital Swift. Nessa data Lulin estava a 160 milhões de km da Terra e 185,5 milhões de km do Sol. Crédito: NASA/Swift/Universidade de Leicester/Bodewits et al.

Essa imagem do cometa Lulin foi obtida em 28 de janeiro de 2009 combina dados obtidos pelos dispositivos de ultravioleta, ótico e raios-X (azul, verde e vermelho) do telescópio orbital Swift. Nessa data Lulin estava a 160 milhões de km da Terra e 185,5 milhões de km do Sol. Crédito: NASA/Swift/Universidade de Leicester/Bodewits et al.

A sonda espacial Swift tem trabalhando dobrado nesses dias. Normalmente esse satélite observador de raios-gama varre o céu a procura as poderosas explosões de alta-energia cósmicas, ou seja, os famosos GRBs (explosões de raios gama – gamma-ray burst). Agora o Swift está também monitorando o cometa Lulin que está se aproximando da Terra. Pela primeira vez os astrônomos estão vendo simultaneamente imagens em ultravioleta e raios-X de um cometa. “O cometa Lulin está liberando uma quantidade imensa de gás, o que o transforma no alvo ideal para observações de raios-X”, disse Andrew Read de Leicester.

Para ler o artigo completo, clique aqui

Eternos aprendizes estão em novo endereço: www.eternosaprendizes.com

Eternos aprendizes estão em novo endereço: http://www.eternosaprendizes.com

21/10/2008

O telescópio Fermi resolve mistério e descobre uma nova classe de pulsares

O telescópio Fermi resolve mistério e descobre uma nova classe de pulsares

Mistério: onde está o pulsar? Como é que a nebulosa remanescente de supernova CTA 1 foi gerada? Onde está a estrela de nêutrons que restou da supernova que criou essa nebulosa em expansão?

O telescópio espacial Fermi revelou a estrela de nêutrons na remanescente de supernova CTA-1 {1}

O telescópio espacial Fermi revelou a estrela de nêutrons na remanescente de supernova CTA-1. Crédito: NASA, S. Pineault (DRAO) {1}

(more…)

Blog no WordPress.com.